VIVENDO NA FRONTEIRA

 

 

 

"Aventurar-se causa ansiedade, mas deixar de se arriscar 

é perder a si mesmo. Por mais que o juízo proíba, aventurar-se,

no sentido mais amplo, é precisamente tomar consciência                               de si próprio. Vive quem ousadamente vive.  [...]

               

Assim, prefiro a sela ao bonde; o céu salpicado de estrelas a um teto;

uma trilha obscura e difícil, levando ao desconhecido; as matizes

da aurora e do crepúsculo, da Lua cheia sobre o mar,

o barulho das ondas, dos rios, do perigo!

Prefiro – e persigo – a sensação de ser humano.

Deste lugar, onde dizem, as feras se sentem em casa                                      e as tormentas nascem. 

Eu quero ver a fronteira."

O texto acima é uma coletânea de partes de inúmeras cartas

deixadas por aventureiros. Em suma, ele traduz o que você deseja encontrar.

A marca NA FRONTEIRA celebra todos que seguem

seus instintos; que valorizam o verdadeiro ser humano e

de alguma forma vencem barreiras, sejam elas o Everest ou aquele pequeno morro atrás do seu sítio. São montanhistas, mergulhadores, espeleos e trilheiros – todo e qualquer aventureiro! Pessoas comuns, acima de tudo, ousadas. 

Incansáveis na busca por seus objetivos.

 

Esses aventureiros, sem exceção, conhecem algo. Eles sabem que o mais importante numa jornada não é o partir ou o chegar e, sim,

o caminhar. Pois, durante o árduo caminho, estamos sempre

a VIVER NA FRONTEIRA – dos pensamentos, da força física,

de nossa fé. O buscar novas distâncias nos leva a alcançar limites maiores, cada vez mais longínquos. Tais limites proporcionam prazeres, na mesma medida, melhores. Assim, espiritual e filosoficamente, o ser humano vai se construindo; morrendo e renascendo a cada novo passo; a cada nova onda; 

a cada novo céu; a cada nova montanha.               

Para frente, o caminho continua.

 

NA FRONTEIRA não há limites.